Julio Cesar Tafforelli help you live a longer, leaner, healthy live Start your journey to SUSTAINABLE WEIGHT LOSS

autocuidado

5 ingredientes que tornam o seu desodorante perigoso

  • Antitranspirantes e desodorantes tornaram-se parte da vida cotidiana da maioria das pessoas, sendo utilizados para evitar o surgimento de odor com o suor
  • Quando o suor produzido pelas glândulas apócrinas encontra bactérias que vivem nas axilas, os metabólitos criam um odor intenso
  • Você pode reduzir esse odor alterando os alimentos que você come, reduzindo o estresse, reavaliando os medicamentos que você utiliza e usando produtos naturais nas axilas

Por Dr. Mercola

O uso de antitranspirante e desodorantes tornou-se um hábito muito comum para a maioria das pessoas. Os anunciantes têm feito campanhas contra o seu cheiro natural para convencê-lo a comprar antitranspirantes e desodorantes com perfumes, fazendo promessas como sucesso nos relacionamentos e autoconfiança como resultado do seu uso.

Porém, nenhum produto de cuidados pessoais é capaz de cumprir tais promessas. Estamos apenas começando a explorar o poder do seu relacionamento com as bactérias que vivem dentro e fora do seu corpo. Embora nem todos esses relacionamentos sejam saudáveis, a ciência ainda está estudando as maneiras que o seu corpo usa as bactérias que vivem na sua pele.

Embora a Food and Drug Administration dos EUA (FDA) e os anunciantes queiram que você acredite que seus desodorantes e antitranspirantes são completamente seguros, você só precisa consultar os ingredientes listados em cada produto na Folha de Dados de Segurança do Material (MSDS) para ver que isso não é verdade.

Por que você tem cheiro?

Seu corpo tem dois tipos diferentes de glândulas sudoríparas. As glândulas écrinas estão localizadas na maior parte do corpo. Eles secretam fluido na superfície da pele à medida que a temperatura do corpo aumenta. À medida que esse fluido evapora, ele ajuda a diminuir a temperatura central e a esfriar o corpo.

No entanto, é o fluido do segundo conjunto de glândulas sudoríparas que causa odor corporal. Estas são as glândulas apócrinas, localizadas principalmente onde existem áreas com pelos densos, como axilas e virilhas. Essas glândulas soltam o líquido nos folículos capilares, logo abaixo da pele.

Enquanto as glândulas écrinas produzem um líquido claro e salgado, as glândulas apócrinas produzem uma substância leitosa em resposta aos estressores. O fluido em si é inodoro, mas rapidamente desenvolve um odor quando combinado com as bactérias que vivem principalmente nas axilas.

Suas axilas oferecem um ambiente escuro, quente e úmido para as bactérias viverem e se proliferarem. À medida que estas bactérias decompõem o líquido produzido pelas glândulas apócrinas, elas geram produtos chamados tioalcoóis. Esses compostos de cheiro intenso evaporam das axilas, produzindo o odor corporal.

Em um esforço para entender quais das bactérias que normalmente vivem sob seus braços produzem mais tioalcoóis, os cientistas da Universidade de York mediram as concentrações produzidas por diferentes bactérias.

Eles descobriram que a Staphylococcus hominis era uma das bactérias que produzia a maior quantidade de tioalcoóis, sendo um dos principais culpados pelo odor.

Fatores que contribuem para o desenvolvimento do odor corporal

Existem várias causas para o odor corporal:

Estresse — A ansiedade faz com que seu corpo libere cortisol, o hormônio relacionado à resposta de luta ou fuga. Isso desencadeia a liberação de suor das glândulas apócrinas. Quando combinado com bactérias debaixo dos braços, o suor começa a apresentar o odor forte característico.
Medicamentos — Algumas medicações podem aumentar a quantidade de suor que você produz, aumentando o potencial de odor corporal.Os medicamentos com esse efeito colateral incluem diversos anti-inflamatórios não esteroides, Lupron (tratamentos contra o câncer), Topamax (convulsões e epilepsia) e vários medicamentos antidepressivos, como Paxil e Wellbutrin.
Alimentação — Alimentos como cebola, alho e curry podem alterar o odor do seu corpo, especialmente os que contêm enxofre. A carne pode alterar o cheiro das axilas, e os metabólitos do álcool serão liberados pelo sistema respiratório (respiração) e pelas glândulas sudoríparas.
Açúcar refinado — Alimentos ricos em açúcares processados ou alta quantidade líquida de carboidratos podem afetar o odor corporal. Isso ocorre porque os açúcares são uma fonte de alimento para as bactérias, enquanto alternativas de alimentos integrais agem mais como desodorizantes naturais do corpo.
Desodorante — Seu desodorizante pode ser a causa do odor nas suas axilas. Você pode pensar que o uso diário reduzirá o crescimento bacteriano e consequentemente o odor, mas, na verdade, você frequentemente está apenas incentivando o crescimento das bactérias produtoras de odor devido a um efeito rebote.Um pequeno estudo da Universidade de Ghent, na Bélgica, descobriu que os antitranspirantes aumentam o número de bactérias que vivem nas axilas.
Crescimento capilar — Você deve ter notado que, quando você não depila as axilas, o cheiro aumenta.O aumento do odor é imperceptível entre sete dias de crescimento e seis a 10 semanas de crescimento dos pelos. No entanto, os participantes do estudo foram capazes de distinguir as diferenças no odor entre uma axila recém-raspada e uma com uma semana de crescimento.
Condições médicas — Existem várias condições de saúde que podem fazer você suar mais do que o normal, incluindo: diabetes, gravidez, problemas de tireoide, hipoglicemia, endocardite, ataque cardíaco, leucemia, menopausa, obesidade e alcoolismo.

Desodorante e bactérias das axilas

Desodorantes e antitranspirantes não são a mesma coisa. A principal função dos desodorantes é matar as bactérias que vivem na sua pele, reduzindo assim o odor corporal. Os antitranspirantes, por outro lado, geralmente possuem um objetivo duplo. Ambos procuram não só eliminar as bactérias que reduzem o odor, mas também tapar seus poros, normalmente com alumínio, para reduzir a transpiração.

Em um estudo recente, os pesquisadores descobriram que os participantes que usaram antitranspirantes alteraram notavelmente as populações bacterianas em comparação com aqueles que usam desodorantes. Também houve diferenças significativas entre aqueles que usaram um desses produtos e aqueles que não usaram nenhum.

Indivíduos que rotineiramente usam desodorante ou antitranspirante possuem colônias de bactérias Staphylococcaceae, enquanto aqueles que não usam esses produtos rotineiramente têm um número maior de Corynebacterium que, assim como o Staphylococcus hominis, contribuem para a produção de odor nas axilas.

Os participantes que usavam antitranspirantes tinham axilas com colônias maiores de espécies específicas de bactérias. Os pesquisadores presumiram que, como os antitranspirantes só surgiram no século passado, as bactérias não representam aquelas que eram historicamente comuns nas axilas humanas.

Antitranspirantes podem piorar o odor das axilas

Curiosamente, uma pesquisa publicada em 2014 descobriu que o uso de desodorante e/ou antitranspirantes pode, na verdade, piorar o odor da sua axila. Nela, descobriu-se que indivíduos que usavam antitranspirantes tinham níveis mais altos de Actinobacteria, outra bactéria responsável pelo odor ruim nas axilas.

Essencialmente, os pesquisadores descobriram que o alumínio dos antitranspirantes matava menos bactérias causadoras de odor, permitindo que as bactérias que produzem odores mais fortes prosperassem.

Em alguns participantes, deixar de usar antitranspirantes fez com que a população de Actinobacteria diminuísse até quase desaparecer. O que se deve entender é: o uso de um antitranspirantes pode tornar o odor das suas axilas mais pronunciado, ao passo que deixar de usar antitranspirantes pode suavizar o cheiro.

Por que os ingredientes dos desodorantes e antitranspirantes representam riscos à saúde

Infelizmente, alterar o microbioma da axila não é a pior coisa que pode acontecer quando você usa regularmente antitranspirantes ou desodorantes. Os ingredientes encontrados nesses produtos são a verdadeira preocupação. Embora os desodorizantes sejam feitos para funcionar no exterior do corpo, eles contêm produtos químicos que podem atravessar a barreira da pele. Sua pele pode parecer impermeável, mas não é totalmente.

As empresas farmacêuticas frequentemente utilizam adesivos transdérmicos para fornecer medicamentos através da pele. Por esse motivo, lotar sua pele de produtos químicos pode ser tão perigoso quanto ingeri-los. O Professor associado de biologia da Universidade Estadual da Carolina do Norte, Heather Patisaul, Ph.D., é citado na Time Magazine, onde diz:

“Quando você come algo, essa coisa é degradada pelo fígado e pelo sistema digestivo. Mas quando você coloca algo na pele, essa substância pode às vezes entrar na corrente sanguínea sem ser metabolizada.”

5 ingredientes perigosos dos desodorantes e antitranspirantes

Naturalmente, passar produtos químicos na pele não significa necessariamente que eles chegarão à corrente sanguínea. No entanto, os exames de sangue mostram que muitos dos produtos químicos usados nos desodorantes são capazes de atravessar a pele e serem encontrados no sangue. Aqui estão cinco ingredientes comuns dos antitranspirantes/desodorantes que podem representar riscos à saúde.

Alumínio — Este produto é usado em antitranspirantes para bloquear as glândulas sudoríparas e reduzir a quantidade de suor secretada. Ele não reduz a quantidade produzida pelo seu corpo, apenas a quantidade secretada pelos folículos. Como mencionado anteriormente, o alumínio também mata algumas bactérias nas axilas que não produzem um odor corporal forte, permitindo a proliferação das bactérias que produzem um odor mais intenso.

O alumínio é também um metal que pode aumentar a instabilidade genética no tecido mamário. Essa instabilidade pode estar relacionada a alterações que promovem o crescimento de tumores. Embora isso não prove que o alumínio seja é um fator causador, mulheres que usam produtos contendo alumínio tendem a ter taxas mais altas de câncer de mama.

Parabenos — Os parabenos são conservantes usados em muitos tipos diferentes de produtos para cuidados pessoais, incluindo hidratantes, desodorantes, protetores solares, cremes e géis para barbear, produtos para os cabelos e maquiagens. Os parabenos estão associados a alterações na produção e na regulação do estrogênio e de outros hormônios no corpo, uma vez que eles penetram na pele e agem como um estrogênio fraco.

Embora a Sociedade Americana do Câncer (ACS) e o Instituto Nacional do Câncer (NCI) neguem evidências conclusivas de um risco aumentado à sua saúde, os dados de laboratório da Universidade de Reading mostram que a mistura de diferentes tipos de parabenos, como no caso de você usar diferentes produtos de cuidados pessoais, pode aumentar o efeito estrogênico em seu corpo.

Ftalatos — Esses compostos ajudam seus produtos de cuidados pessoais a se fixarem na pele ou no cabelo. Isso significa que quase tudo que você use que possui com fragrâncias que permanecem possuem ftalatos para melhorar a estabilidade e fixação do perfume. Shampoos, loções, perfumes, desodorantes, sprays corporais, antitranspirantes, sabonetes e sabonetes para o cabelo, todos contêm ftalatos, que vão se acumulando no corpo ao longo do tempo.

Este composto parece interromper as funções androgênicas em seu corpo. Você pode pensar em androgênio e testosterona como hormônios estritamente masculinos, mas o corpo feminino também usa esses hormônios para construir e manter musculatura, e eles desempenham um papel na manutenção da energia.

Os ftalatos também são tóxicos para as glândulas reprodutivas em homens e mulheres. O desenvolvimento fetal em mulheres grávidas pode ser afetado, e pesquisas ligaram o composto a QI reduzido e asma.

Triclosan — Este produto químico é tão comumente utilizado que 75% dos americanos possui níveis detectáveis de triclosan na corrente sanguínea. Embora seja um ingrediente comum em sabonetes antibacterianos, os fabricantes de cosméticos o utilizam para matar bactérias na pele em produtos como cremes antiacne, desodorantes e antitranspirantes.

Estudos em animais associaram o triclosan a atividade hormonal incomum e, por absorção transdérmica, pode atrapalhar o crescimento bacteriano do intestino. Segundo Patisaul: “Há evidências obtidas de anfíbios e peixes… de que o triclosan prejudica a função da tireoide, que é crucial para o desenvolvimento do cérebro. Que eu saiba, não há benefícios claros associados a ela quando usado em produtos nas axilas.”

Fragrâncias — Os ingredientes químicos nos perfumes são ocultados e protegidos pela lei de segredo comercial. Você pode ter reações alérgicas ou irritação da pele devido a fragrâncias contidas em desodorantes e antitranspirantes.

Deixando de usar desodorantes e antitranspirantes

Abrir mão desse banho químico todas as manhãs não é tão difícil quanto você imagina. Você pode experimentar várias opções naturais até encontrar uma combinação que funcione para a sua colônia de bactérias únicas.

Nada — Quando você não adiciona um antitranspirante ou desodorante à sua rotina matinal, seu odor pode aumentar por uma semana ou duas até que o crescimento bacteriano sob seus braços se estabilize. Assim como reduzir ou eliminar os banhos diários pode ajudar a equilibrar os óleos naturais da pele, eliminar os desodorantes pode ajudar o corpo a equilibrar os odores naturais.
Limão — O ácido cítrico presente nos limões mata as bactérias produtoras de odor. Simplesmente corte um limão ao meio e esfregue-o debaixo dos braços. Você pode selar a fruta em um recipiente de vidro, refrigerá-la e reutilizá-la. Apenas certifique-se de rotular para que não seja usado na sua próxima refeição!
Vinagre branco, de cidra ou de maçã — Tanto o vinagre branco quanto o vinagre de maçã também matam bactérias. Nenhum deles requer refrigeração. Encha um frasco de spray com vinagre branco ou maçã e mantenha-o no banheiro.
Bicarbonato de sódio e água — Assim como na sua geladeira, o bicarbonato de sódio pode neutralizar odores no seu corpo. Mantenha o recipiente na cozinha para que não seja afetado pela umidade do banheiro. Polvilhe um pouco na palma da sua mão e passe dois dedos molhados no pó. Espalhe-o debaixo do braço.
Peróxido de Hidrogênio (Água oxigenada) — O peróxido de hidrogênio funciona quebrando as membranas das bactérias e reagindo com a catalase no interior da célula. É isso que causa a formação da espuma que você vê. Misture uma colher de chá de solução a 3% com 100 ml de água. Você pode aumentar a quantidade de peróxido de hidrogênio, se necessário. Aplique com a ajuda de um pano ou use um frasco de spray.
Melaleuca (árvore-do-chá) e óleo de coco — Ambos os óleos são naturalmente antibacterianos. O óleo de melaleuca pode ser diluído – duas a três gotas em 30 ml de água. O óleo de coco pode ser usado como hidratante nas axilas, especialmente após depilar ou raspar. Você também pode adicionar uma gota de óleo de melaleuca a uma pequena quantidade de óleo de coco espalhar nas axilas.

– Recursos e Referências

Hits: 0

Leave a Reply

error: Content is protected !!