Julio Cesar Tafforelli help you live a longer, leaner, healthy live Start your journey to SUSTAINABLE WEIGHT LOSS

autocuidado

Enxaguante bucal pode aumentar a pressão arterial?

  • Compostos anti-sépticos presentes em enxaguantes bucais podem destruir bactérias orais importantes para manter a pressão arterial, contribuindo assim para níveis elevados de pressão arterial
  • O uso de qualquer enxaguante bucal que contenha o antisséptico clorexidina duas vezes ao dia foi associado a um aumento significativo da pressão arterial sistólica após uma semana
  • Em um estudo separado, aqueles que usaram enxaguante bucal duas vezes por dia ou mais têm maior probabilidade de desenvolver pressão alta do que aqueles que usaram com menos frequência ou nunca
  • Uma “grande mudança” no microbioma salivar foi observada após o uso do produto com clorexidina, desencadeando condições mais ácidas, que favorecem o aumento da cárie dentária, bem como a menor disponibilidade de nitrito e bactérias redutoras de nitrato oral, que afetam a saúde do coração
  • Para uma saúde bucal e ideal, você precisa parar de matar os micróbios em sua boca, e uma forma importante de fazer isso é não usar enxaguantes bucais

Por Dr. Mercola

Você provavelmente está ciente de que as bactérias em seu intestino desempenham um papel fundamental em sua saúde, afetando tudo, desde a saúde do coração até o funcionamento do cérebro. No entanto, não são apenas as bactérias intestinais que importam, pois as bactérias em outras partes do corpo também são importantes, incluindo as da boca.

Infelizmente, há muito as pessoas são aconselhadas por dentistas bem-intencionados a usar enxaguantes bucais para matar as bactérias orais e refrescar o hálito. Mas, assim como no seu intestino, se você mata as bactérias na boca, está eliminando as variedades boas e más, o que coloca sua saúde em risco.

Os compostos anti-sépticos podem até destruir bactérias orais benéficas que são importantes para manter a pressão arterial.

Bactérias orais afetam a pressão arterial por meio do óxido nítrico

Acredita-se que as bactérias em sua boca desempenhem um papel importante na pressão sanguínea via óxido nítrico (NO), um gás solúvel armazenado no revestimento dos vasos sanguíneos chamado endotélio. O NO é produzido no interior das células endoteliais, a partir do aminoácido L-arginina, onde age como uma molécula de sinalização importante através do seu corpo.

Além de promover funções endoteliais saudáveis e de cuidar da saúde cardíaca, o NO também auxilia no fluxo do sangue através da dilatação das artérias. Isso, por sua vez, permite que oxigênio e nutrientes vitais fluam livremente através do seu corpo, o que é benéfico para a circulação e saúde cerebral. O NO também desempenha um papel defensivo na saúde mitocondrial, o reservatório de energia de suas células, responsável pela utilização da energia para todas as funções metabólicas.

Nitratos dietéticos, encontrados em alimentos como beterraba e folhas verdes, são convertidos em nitritos por bactérias orais durante a mastigação. Escrevendo na Frontiers in Cellular and Infection Microbiology, pesquisadores liderados por Nathan Bryan, Ph.D, do departamento de genética molecular e humana do Baylor College of Medicine, no Texas, explicaram os detalhes de como um microbioma oral saudável e equilibrado auxilia na conversão de nitrato dietético em NO:

“O microbioma oral tem o potencial de fornecer uma função simbiótica importante na fisiologia da pressão arterial humana, contribuindo para a geração de óxido nítrico (NO), uma molécula de sinalização cardiovascular essencial. O NO é produzido pelo corpo humano por meio da conversão de arginina em NO pela sintase endógena de óxido nítrico (eNOS), mas a atividade da eNOS varia de acordo com o indivíduo.

As comunidades microbianas orais têm o propósito de suplementar a produção de NO do hospedeiro, reduzindo o nitrato da dieta a nitrito por meio de redutases de nitrato bacteriano. O nitrato alimentar não reduzido é liberado na cavidade oral na saliva, um processo fisiológico denominado circulação enterosalivar do nitrato.”

Como o enxaguamte bucal pode aumentar a pressão arterial?

O problema com o enxaguante bucal é que a maioria contém anti-sépticos como a clorexidina, que tem sido usada na prática odontológica desde 1970 e tem atividade antibacteriana de amplo espectro. 3 Descobriu-se que o anti-séptico reduz as bactérias associadas à doença periodontal e à cárie dentária, bem como reduz o mau hálito, levando muitos dentistas a recomendar aos seus pacientes enxágue bucal que o contenha uma ou duas vezes ao dia.

A clorexidina (CHX) não atua em uma bolha, afetando apenas bactérias “ruins”. Ela também afeta as bactérias de que sua boca precisa para um microbioma saudável. Em seu estudo, Bryan e colegas usaram o sequenciamento e análise do gene 16S rRNA para determinar como o uso de enxaguante com clorexidina utilizado duas vezes por dia durante uma semana afeta as bactérias orais e a pressão arterial em 26 participantes do estudo.

O uso de enxaguante bucal duas vezes ao dia foi associado a um aumento significativo na pressão arterial sistólica após uma semana, enquanto uma vez que o enxaguante foi interrompido, “a recuperação do uso resultou em um enriquecimento nas bactérias redutoras de nitrato na língua”.

Diferenças em mais de 10 espécies de bactérias que vivem na língua foram observadas após o uso de enxaguante bucal, incluindo uma menor diversidade microbiana após uma semana de uso, enquanto aquelas com níveis relativamente altos de redutases de nitrito bacteriano tinham pressão arterial sistólica mais baixa quando em repouso.

“A demonstração de que a presença de bactérias produtoras de NO na cavidade oral pode ajudar a manter a pressão arterial normal nos dá outra meta para ajudar os mais de 100 milhões de americanos que vivem com pressão alta”, disse Bryan em um comunicado à imprensa, acrescentando:

“Sabemos que não se pode estar bem sem uma quantidade adequada de NO circulando por todo o corpo. No entanto, a primeira coisa que mais de 200 milhões de americanos fazem todos os dias é usar um anti-séptico bucal, que destrói as “bactérias boas” que ajudam a criar o NO. Esses hábitos antes considerados bons podem estar fazendo mais mal do que bem.”

Outra pesquisa, incluindo um estudo que acompanhou 1.028 pessoas ao longo de um período de três anos, revelou riscos semelhantes de enxaguantes bucais. Aqueles que usaram enxaguante duas vezes por dia ou mais se mostraram mais propensos a desenvolver pressão alta do que aqueles que o usaram com menos frequência ou nunca. Escrevendo para a Scientific Reports, outra equipe de pesquisadores observou:

“Além disso, nós e outros demonstramos recentemente que o uso de CHX em indivíduos saudáveis pode atenuar a atividade redutora de nitrato das bactérias orais em pelo menos 80%. Isso, por sua vez, causa uma menor disponibilidade de nitrito e a um aumento da pressão arterial, sugerindo que o microbioma oral pode regular a saúde cardiovascular em indivíduos saudáveis e pacientes hipertensos”.

O enxaguante bucal perturba o microbioma oral

Como você pode suspeitar, a morte indiscriminada de bactérias na boca por meio de antissépticos agressivos como a clorexidina tem implicações de longo alcance, mesmo além dos níveis de pressão arterial. O uso de enxaguante bucal duas vezes ao dia foi associado a um aumento do risco de pré-diabetes e diabetes tipo 2, novamente afetando bactérias orais críticas para a formação de óxido nítrico, que predispõe os indivíduos a distúrbios metabólicos como o diabetes.

À medida que está ficando mais evidente que expor regularmente seu microbioma oral a anti-sépticos em enxaguantes bucais é problemático, os pesquisadores começaram a se interessar pelo assunto, incluindo uma equipe que investigou os múltiplos efeitos do produto com clorexidina após sete dias de uso duas vezes ao dia.

Trinta e seis indivíduos usaram um enxaguante bucal placebo por um minuto, duas vezes ao dia por uma semana, seguido por um enxaguante bucal CHX usando o mesmo protocolo por outra semana.

Uma “grande mudança” no microbioma salivar foi notada após o uso de enxaguante bucal, criando condições mais ácidas, que favorecem o aumento da cárie dentária e a menor disponibilidade de nitrito e bactérias redutoras de nitrato oral, que afetam a saúde do coração. Especificamente, o estudo observou:

“O CHX aumentou significativamente a abundância de Firmicutes e Proteobacteria e reduziu a presença de Bacteroidetes, TM7, SR1 e Fusobacteria.

Essa mudança foi associada a uma diminuição significativa no pH da saliva, acompanhada por um aumento nos níveis de lactato e glicose. Concentrações mais baixas de saliva e nitrito plasmático foram encontradas após o uso de CHX, seguido por uma tendência de aumento na pressão arterial sistólica.”

Produtos de higiene bucal que contêm clorexidina também são amplamente utilizados em pacientes hospitalizados, incluindo aqueles que estão gravemente enfermos, a fim de manter a saúde bucal. Mas quando os pesquisadores compararam pacientes expostos a baixos níveis de clorexidina para higiene bucal (300 miligramas ou menos) com os não expostos, aqueles que usaram clorexidina exibiram um maior risco de morte.

“Esses dados falam contra o uso indiscriminado e generalizado de produtos bucais com clorexidina em pacientes hospitalizados, na ausência de benefício comprovado em populações específicas”.

Evite bochechos para melhorar sua saúde

Em minha entrevista com o Dr. Gerry Curatola, fundador da Odontologia do Rejuvenescimento, que tem mais de 30 anos de experiência em odontologia biológica, ele argumenta que alcançar uma saúde bucal ideal envolve promover o equilíbrio entre as bactérias em sua boca.

Os probióticos não atuam na cavidade oral da mesma forma que no intestino, portanto, a solução não é tão simples quanto adicionar bactérias benéficas à boca. Em vez disso, como uma etapa inicial, você precisa parar de matar os micróbios em sua boca, e uma forma importante de fazer isso é não usar enxaguantes bucais antimicrobianos e evitar pastas de dente com fluor.

“Não se deve destruir indiscriminadamente todas as bactérias da boca e esperando que as boas voltem por conta própria”, diz ele. “Bactérias boas basicamente têm mais chances de criar um microbioma saudável e equilibrado quando você não as perturba, desnaturaliza ou desidrata com produtos à base de álcool.”

Uma alternativa natural ao enxaguante bucal seria o bochecho com óleo de coco, que tem um efeito lipofílico, ajudando a eliminar o biofilme prejudicial à saúde dos dentes. Embora ele tenha um efeito detergente natural, não causa os danos que os detergentes químicos causam. O óleo de coco também contém vários nutrientes valiosos que ajudam a promover uma boa saúde bucal. “Caso você não tenha uma boa nutrição, que promova a homeostase do microbioma oral, o bochecho com óleo de coco é ainda melhor”, diz Curatola.

Outra dica: se você deseja um enxágue bucal saudável, Curatola sugere uma mistura com um pouco de sal do Himalaia dissolvido em água, pois ele contém mais de 85 microminerais diferentes. Nutrientes adicionais que auxiliam a saúde bucal e gengival são a vitamina C e a coenzima Q10 (CoQ10), pois o sangramento nas gengivas é frequentemente um sinal de Deficiência de CoQ10.

Seu estilo de vida pode deixar seus dentes mais saudáveis

A higiene bucal adequada, incluindo escovação regular, fio dental e limpezas regulares com um dentista que não faça uso de mercúrio ajudará muito a manter seus dentes e gengivas saudáveis, mas seu estilo de vida, incluindo sua dieta, também é importante.

Quanto mais você ingere açúcar, mais aumenta seu risco de ter cáries. Um estudo descobriu que, para minimizar o risco de cáries, o açúcar não deve representar mais do que 3% de sua ingestão total de energia (com 5% sendo considerado uma meta “pragmática” ou mais realista).

Deficiências minerais como magnésio também pode enfraquecer ossos e dentes, enquanto a vitamina K2 é crucial para a mineralização óssea; a menos que você tenha uma fonte regular de alimentos fermentados não pasteurizados saudáveis em sua dieta, há uma boa chance de você ter deficiência desse importante nutriente.

O Dr. Dominik Nischwitz, autor de “Está tudo na sua boca: Odontologia biológica e o impacto surpreendente da saúde bucal no bem-estar de todo o corpo”, é outro especialista que acredita firmemente que as cáries e os problemas resultantes podem ser evitados por completo seguindo um programa de estilo de vida otimizado para saúde bucal que inclua níveis ideais de exposição ao sol e nutrição e evite toxinas, glúten e laticínios.

Infelizmente, a odontologia permanece distintamente separada do campo da medicina, embora seja amplamente conhecido que sua saúde bucal está intimamente ligada à sua saúde geral. Para melhores resultados, escolha um dentista biológico que entende essa conexão e possa aconselhá-lo sobre as etapas que irão auxiliar não apenas sua saúde bucal, mas também sua saúde como um todo.

– Recursos e Referências

Hits: 1

Leave a Reply

error: Content is protected !!