Julio Cesar Tafforelli help you live a longer, leaner, healthy live Start your journey to SUSTAINABLE WEIGHT LOSS

autocuidado

Frutose: destruindo seu fígado e o dos seus filhos

  • Os níveis de obesidade atuais são tão altos que muitas crianças sofrem de doenças mais comumente associadas ao abuso de álcool
  • Estudos mostram que milhões de crianças sofrem de “doença hepática não alcoólica” (DHGNA), causada por um acúmulo de gordura no interior das células do fígado
  • O consumo intenso de frutose pode causar crescimentos perigosos de células de gordura ao redor de órgãos vitais e pode desencadear os estágios iniciais de diabetes, doenças cardíacas e hepáticas

Por Dr. Mercola

Como você já sabe, estamos no meio de uma epidemia de obesidade com quase 70% da população acima do peso. Não é surpreendente que a obesidade traga complicações. É por isso que tantas crianças estão desenvolvendo “doença hepática não alcoólica”, visto que a obesidade não é caracterizada apenas pelo excesso de gordura próximo à superfície do corpo, mas também no interior e ao redor seus órgãos internos.

Às vezes, o excesso de gordura se acumula no fígado e pode causar inflamação e cicatrizes, uma condição séria chamada esteato-hepatite não alcoólica. Fígados com cicatrizes não conseguem funcionar normalmente. Em sua forma mais grave, a condição pode progredir para cirrose e insuficiência hepática. Essa condição costumava ser extremamente rara em crianças. Infelizmente, já não é mais o caso.

A cirrose hepática é uma doença terrível, que você nunca gostaria que seu filho tivesse.

Os sintomas incluem:

  • Retenção de líquidos
  • Perda de massa muscular
  • Sangramento intestinal
  • Perda de peso

A esteatite hepática é uma doença silenciosa; muitas pessoas sequer sabem que têm problemas no fígado. O único diagnóstico possível é uma biópsia de fígado. Atualmente, não há exames de sangue que possam dizer com segurança se você tem DHGNA ou EHNA, sendo a segunda muito mais séria do que a primeira.

Ambas as condições estão se tornando mais comuns à medida que as cinturas americanas estão crescendo, e o segmento de nossa população em maior risco é a juventude. Uma criança que desenvolve a primeira tem muitas chances de progredir para a segunda. Trata-se de um problema progressivo e virtualmente intratável. Portanto, o importante aqui é agir ANTES que haja danos ao fígado. Prevenir a obesidade é fundamental, pois é o excesso de gordura do fígado que serve como substrato para o desenvolvimento de doenças mais sérias com o tempo.

Doença hepática gordurosa não alcoólica em crianças

Quanto mais tempo dura a DHGNA, maiores suas chances de progressão para doenças mais sérias como fibrose hepática (acúmulo anormal de tecido fibroso no fígado). cirrose (acúmulo de tecido cicatricial) e EHNA. Portanto, ocorrências em crianças são tão preocupantes.

Os seguintes fatos sobre a DHGNA pediátrica são perturbadores:

  • Casos de DHGNA pediátrica foram relatados em crianças de até 3 anos.
  • Entre crianças e adolescentes obesos, a DHGNA foi identificada em 20% das crianças e adolescentes americanas, 44% das italianas e 74% das chinesas.
  • A doença está fortemente associada à resistência à insulina e a outros sintomas clássicos da síndrome metabólica, sendo muito mais comum do que muitos médicos imaginam.
  • Crianças com gordura abdominal elevada têm mais risco de progredir da DHGNA para EHNA.
  • A alanina aminotransferase elevada (ALT) é um marcador da DHGNA e reflete o dano hepatocelular inespecífico. No estudo, a prevalência de ALT elevada (> 30 U / L) foi de 7,4% entre adolescentes brancos, 11,5% entre mexicanos-americanos e 6,0% entre adolescentes negros.

Todos concordam que a única estratégia preventiva para combater a DHGNA é prestar muita atenção à dieta e aos exercícios. Caso seu filho seja obeso, o objetivo principal deve ser a perda de peso gradual, já que a rápida perda de peso causa um grande estresse no fígado e acelera a progressão para a esteatite hepática.

Quando pensamos na dieta, a pandemia de DHGNA pediátrica faz um paralelo direto com as grandes taxas de obesidade de nossos filhos. E as taxas de obesidade estão relacionadas às tendências dietéticas ocidentais: consumo excessivo de alimentos processados e refrigerantes feitos de carboidratos simples e muito açúcar, especialmente a frutose.

Quando se trata de açúcar, a frutose é a pior das piores

A frutose é uma forma barata de açúcar usada em milhares de produtos alimentícios e refrigerantes, que pode prejudicar o seu metabolismo e o do seu filho. Mais do que qualquer outra forma de açúcar, o consumo excessivo de frutose pode causar crescimentos perigosos de células de gordura ao redor de órgãos vitais e pode desencadear os estágios iniciais de diabetes, doenças cardíacas e hepáticas.

A frutose, geralmente derivada do milho, está alimentando a crise da obesidade em grande medida devido ao seu uso descontrolado na indústria de alimentos e bebidas. Consumir frutose em excesso pode causar danos seu fígado e ao do seus filhos.

Desde a década de 1970, o consumo de frutose nos Estados Unidos disparou. Refrigerantes e outras bebidas adoçadas são facilmente alguns dos maiores fatores, nos quais o xarope de frutose é um dos adoçantes primários.

Esse componente também é encontrado na maioria dos alimentos processados, mesmo nos que você não pensaria, como ketchup, sopa, molhos de salada, pão e biscoitos “água e sal”. Mesmo os alimentos “naturais” contêm frutose como adoçante. Portanto, mesmo que você não beba refrigerante, mas coma alimentos processados ou embalados, provavelmente está consumindo enormes quantidades de frutose. A frutose é responsável por 10% das calorias da dieta americana. Isso é um pesadelo metabólico.

Como o consumo de frutose pode causar danos ao fígado?

A frutose é tão prejudicial ao fígado quanto o consumo de álcool.

1.Carga hepática número um — Depois de comer frutose, 100% da carga metabólica fica com o fígado, pois apenas ele pode quebrá-la. Isso é muito diferente de consumir glicose, que o fígado precisa quebrar apenas 20%, e os 80% restantes são imediatamente metabolizados e usados pelo resto das células do corpo.

2.Carga hepática número dois — A frutose é convertida em gordura que é armazenada no fígado e em outros tecidos como gordura corporal. Parte do que torna a frutose tão ruim para a saúde é que ela é metabolizada em gordura em seu corpo muito mais rapidamente do que qualquer outro açúcar. Por exemplo, se você comer 120 calorias de frutose, 40 calorias serão armazenadas como gordura. Mas se você comer a mesma quantidade de glicose, menos de uma caloria será armazenada como gordura. Consumir frutose é essencialmente consumir gordura!

O metabolismo da frutose é muito semelhante à forma como o álcool é metabolizado, que possui uma infinidade de metabólitos tóxicos que, se consumidos em excesso, podem causar DHGNA. Metabolicamente, consumir frutose é muito semelhante a consumir álcool. Os subprodutos são semelhantes, razão pela qual os efeitos no fígado são semelhantes. Para uma discussão completa sobre o metabolismo da frutose, consulte meu artigo sobre o assunto.

Ironicamente, os próprios produtos em que a maioria das pessoas confia para perder peso (alimentos dietéticos com baixo teor de gordura) são frequentemente os que contêm mais frutose. Estudos confirmam que consumir grandes quantidades de xarope de milho com alto teor de frutose pode contribuir para o desenvolvimento de doença hepática gordurosa não alcoólica. E a maioria das crianças hoje está consumindo enormes quantidades! Estou certo de que a frutose é o maior fator alimentar por trás do aumento das taxas de doença hepática gordurosa entre os jovens de hoje.

O que a ciência diz sobre o impacto da frutose na saúde?

Veja como a frutose pode prejudicar sua saúde:

Aumenta sua pressão arterial e cause hipertensão noturna
Resistência à insulina/Diabetes tipo 2
Doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA)
Aumenta seus níveis de ácido úrico, o que pode causar gota e/ou síndrome metabólica
Acelere a progressão da doença renal crônica
Aterosclerose intracraniana (estreitamento e endurecimento das artérias do crânio)
Aumente as anormalidades cardíacas caso você tenha deficiência de cobre
Tem um efeito genotóxico no cólon
Promove metástases em pacientes com câncer de mamaCausa lesão tubulointersticial (lesão dos túbulos e tecido intersticial do rim)
Promove a obesidade, bem como os problemas de saúde e doenças relacionados
Promove o crescimento do câncer pancreático
Aumenta os triglicerídeos, o que pode aumentar o risco de doenças cardíacas
Interfere na sinalização de leptina e insulina, que ajuda a controlar a fome e o armazenamento de gordura
Acelere o processo de envelhecimento

Orientações para a prevenção de doenças do fígado

Ao modificar o estilo de vida de seu filho das seguintes formas, você pode ajudá-lo a atingir ou manter seu peso ideal:

Limite a frutose de todas as fontes a menos de 25 gramas por dia — A frutose é uma das principais fontes de calorias nos Estados Unidos, e seu filho pode precisar reduzir drasticamente os alimentos ricos em frutose, como refrigerantes e sucos de frutas. As frutas também precisam ser medidas com cuidado para garantir que não sejam consumidos mais 15 gramas de frutose. Consulte a tabela abaixo para ter uma ideia da quantidade de frutose presente nas frutas favoritas do seu filho.

Eu recomendo limitar a ingestão diária de frutose proveniente de frutas a 15 gramas, porque seria muito incomum seu filho não ingerir frutose adicional de outros alimentos, já que ela é adicionada a quase TODOS os alimentos e bebidas processadas. Por exemplo, há cerca de 40 gramas de xarope de milho com alto teor de frutose em uma lata de refrigerante nos EUA.

Sendo assim, consulte a tabela abaixo e mantenha a ingestão de frutose a menos de 15 gramas ao dia.

FrutaPorçãoGramas de Frutose
Lima10
Limão10.6
Cranberries1 xícara0.7
Maracujá10.9
Ameixa seca11.2
Damasco11.3
Goiaba22,2
Tâmara12.6
Melão1/8 de melão2.8
Framboesas1 xícara3.0
Clementina13.4
Kiwi13.4
Amora1 xícara3.5
Carambola13.6
Cerejas doces103.8
Morango1 xícara3.8
Cerejas azedas1 xícara4.0
Abacaxi1 fatia (9 x 2 cm)4.0
Toranja, rosa ou vermelha1/24.3
Boysenberries1 xícara4.6
Tangerina14.8
Nectarina15.4
Pêssego15.9
Laranja16.1
Mamão1/26.3
Melão doce1/8 de melão6.7
Banana17.1
Mirtilos1 xícara7.4
Tâmara (Medjool)17.7
Maçã (composto)19,5
Caqui110.6
Melancia1/1611.3
Pera111.8
Uva passa1/4 xícara12.3
Uvas, sem sementes (verdes ou rubi)1 xícara12.4
Manga1/216.2
Damascos desidratados1 xícara16.4
Figos secos1 xícara23.0

Substitua sucos e refrigerantes por água pura e limpa.

Ajude seus filhos a se exercitarem.

Estabeleça limites para o seu filho não exagerar na TV/computador.

Ajude seu filho a superar seus bloqueios emocionais — Ferramentas como a Técnica de Liberação Emocional (EFT) são muito úteis quando se trata de perder peso, bem como diminuir o estresse e as emoções negativas.

Agentes naturais que podem ajudar a restaurar a saúde metabólica do seu filho

Existem alguns estudos científicos que mostram que os efeitos da toxicidade da frutose podem ser amenizados com várias substâncias nutricionais naturais, o que é importante porque NÃO existem medicamentos comprovadamente eficazes para crianças. Os agentes naturais promissores incluem:

O passo número um e mais importante é limitar ou mesmo eliminar o uso de açúcar, especialmente a frutose, até atingir um patamar saudável, e depois consumir menos de 25 gramas por dia. Isso causará uma melhora notável na saúde de seu filho e deve ser feito antes de considerar quaisquer suplementos.Clorela e spirulina podem diminuir a intoxicação por frutose. A clorela demonstrou melhorar a sensibilidade à insulina, e a espirulina melhora a hiperlipidemia.
O gengibre tem um efeito benéfico na resistência à insulina induzida pela frutose e na hiperlipidemia em estudos com ratos.O chá verde também demonstrou reduzir a resistência à insulina em ratos alimentados com frutose.
Foi descoberto que o antioxidante resveratrol pode prevenir alterações cardiovasculares em ratos de laboratório alimentados com frutose.O manjericão santo evitou a resistência à insulina em ratos de laboratório alimentados com frutose.

Embora a ciência esteja começando a identificar tratamentos naturais que podem ajudar a desfazer os efeitos danosos da frutose, é importante lembrar que a melhor maneira de prevenir danos ao fígado é impedir que seu filho fique obeso, ensinando-o a fazer boas escolhas e ter um bom estilo de vida. Use a si mesmo como modelo. Lembre-se de que as crianças aprendem novos hábitos com os pais, sejam eles bons ou ruins!

– Recursos e Referências

Hits: 1

Leave a Reply

error: Content is protected !!