Julio Cesar Tafforelli help you live a longer, leaner, healthy live Start your journey to SUSTAINABLE WEIGHT LOSS

autocuidado

O que há de novo e benéfico sobre a couve-de-bruxelas?

  • A couve-de-bruxelas ajuda a ativar os sistemas enzimáticos de combate ao câncer em seu corpo
  • Ela auxilia na Fase 1 e 2 da desintoxicação
  • Consumir mais couve-de-bruxelas pode melhorar a saúde do coração, diminuir o risco de câncer e inflamação crônica
  • Couves-de-bruxelas ainda presas ao caule podem ser mais frescas e mais baratas

Por Dr. Mercola

A couve-de-bruxelas foi eleita o vegetal mais odiado, talvez por conta do seu odor característico. Mas o odor desagradável só ocorre quando esse vegetal altamente nutritivo é cozido demais, algo que você definitivamente quer evitar para preservar seu sabor e nutrientes.

Além disso, esse odor vem de um tipo de glucosinolato, um composto que contém enxofre e é responsável por alguns benefícios de saúde bastante impressionantes, incluindo o combate ao câncer. Então, da próxima vez que pensar em torcer o nariz para esse alimento, talvez seja melhor dar uma chance a ele.

Poucas calorias e muito conteúdo nutricional

A couve-de-bruxelas é um alimento ideal para quem quer algo saudável e que tenha poucas calorias. Uma xícara de couve-de-bruxelas cozida tem apenas 56 calorias, mais de 240 por cento da quantidade diária recomendada de vitamina K1 e quase 130 por cento da dose de vitamina C.

Além disso, a couve-de-bruxelas é uma boa fonte de fibras, manganês, potássio, colina e vitaminas B. Ela contém até proteínas. Mas a couve-de-bruxelas não contêm apenas antioxidantes bem conhecidos, como a vitamina C…

Ela também contém outros que são muito menos conhecidos, mas igualmente importantes, como kaempferol, isorhamnetina, ácidos cafeico e ferúlico, e um composto que contém enxofre relativamente raro chamado D3T (3H-1,2-ditiol-3-tiona).

Isso significa que, quando você ingere couve-de-bruxelas, está ajudando seu corpo a evitar o estresse oxidativo crônico, que é um fator de risco para muitos tipos de câncer e outras doenças crônicas.

Você pode preparar a couve-de-bruxelas no vapor e misturá-la com azeite, queijo parmesão ou manteiga. Você pode assá-la, cortá-la em e depois misturá-la como uma salada com cebola, queijo feta e vinagre balsâmico. Você pode até manter uma tigela na geladeira, temperada com sal e pimenta, para fazer um lanche ao longo do dia.

Lembre-se: se suas couves-de-bruxelas ficarem excessivamente “fedorentas”, pastosas ou verdes, provavelmente estão cozidas demais. Idealmente, elas devem ser verdes brilhantes com uma textura ligeiramente crocante e um agradável sabor de nozes mesmo após preparadas.

Querendo fazer uma dieta detox? Coma mais couve-de-bruxelas

Sucos detox comprados em lojas são populares agora, mas a desintoxicação é realmente um processo que seu corpo precisa fazer diariamente. E ele só pode fazer isso se você fornecer os alimentos adequados, sendo um deles a couve-de-bruxelas.

Seus compostos que contém enxofre são inestimáveis, pois ajudam a ativar os sistemas enzimáticos em suas células que são necessários para a desintoxicação de substâncias cancerígenas.

Esses compostos também auxiliam na fase 2 do processo de desintoxicação do corpo, que elimina as toxinas do sistema. Melhor ainda, eles também são uma fonte rica de antioxidantes, que são necessários para a fase 1 da desintoxicação, que é quando as toxinas são quebradas em partículas menores (que mais tarde são eliminadas durante a fase 2).

Alimentos que auxiliam ambas as fases da desintoxicação são cruciais para remover substâncias tóxicas do seu corpo. Por exemplo, se você consumir alimentos que auxiliam a fase 1 e não a fase 2, as toxinas começam a se acumular no seu corpo.

Alimentos como a couve-de-bruxelas ajudam a garantir que as toxinas não sejam apenas decompostas, mas também removidas com segurança do seu corpo.

A couve-de-bruxelas pode funcionar melhor do que o brócolis para ajudar a reduzir o risco de câncer

O câncer é a principal causa de morte nos Estados Unidos e ingerir couve-de-bruxelas é uma forma simples de diminuir o risco dessa doença. Seu corpo usa os glucosinolatos da couve-de-bruxelas para produzir isotiocianatos, que ativam os sistemas enzimáticos que combatem o câncer em seu corpo. Conforme relatado no periódico Carcinogenesis:

“Os glicosinolatos são glicosídeos que contêm enxofre encontrados em vegetais da família Brassica. Seus subprodutos incluem isotiocianatos, que são produzidos após a exposição à enzima endógena chamada mirosinase. Os isotiocianatos são compostos pungentes, biologicamente ativos que suprimem a carcinogênese in vivo e induzem a apoptose in vitro.”

O Indol-3-carbinol, por exemplo, é um produto da degradação do glucosinolato que interrompe o ciclo celular nas células do câncer de mama sem realmente matar as células. O ciclo celular é uma série de etapas rigidamente controladas pelas quais uma célula deve passar antes de se dividir em duas, envolvendo a duplicação do conteúdo da célula e uma divisão final.

Se você pode alterar componentes específicos do ciclo celular, pode interromper o crescimento das células cancerosas sem matar as células normais. O indol-3-carbinol interfere no ciclo celular de uma forma que desativa um gene de uma enzima importante no ciclo de crescimento da célula.

A couve-de-bruxelas tem sido associada à prevenção de uma série de cânceres, incluindo câncer de cólon, ovário e outros. Um estudo até descobriu que os compostos da couve-de-bruxelas podem fazer com que células pré-cancerosas cometam suicídio, o que sugere que adicionar mais deste superalimento à sua dieta pode ser uma estratégia anticancerosa poderosa.

Na verdade, em um estudo, homens que comeram cerca de 1,5 xícara de couve-de-bruxelas por dia durante cinco semanas tiveram uma redução de 28% no dano ao DNA. Os pesquisadores concluíram que “o consumo de vegetais crucíferos [couve-de-bruxelas] pode resultar em uma diminuição do risco de câncer.”

Embora todos os vegetais crucíferos sejam conhecidos por seus poderes de combate ao câncer, a couve-de-bruxelas demonstraram quantidades ainda maiores de glucosinolatos do que o repolho, couve, couve-flor e brócolis.

A couve-de-bruxelas também deixa seu coração mais saudável

O glucosinolato indol-3-carbinol (I3C) é um anti-inflamatório poderoso e atua a nível genético, ajudando a prevenir as respostas inflamatórias nos estágios iniciais. Isso é importante porque a inflamação crônica é a fonte de muitas doenças, incluindo câncer, obesidade e doenças cardíacas.

Todo mundo precisa de algum nível de inflamação no corpo para se manter saudável; no entanto, é bem comum que processos inflamatórios saiam do controle.

Se o seu sistema imunológico dispara por engano uma resposta inflamatória quando nenhuma ameaça está presente, isso pode levar a um excesso de inflamação, condição ligada à asma, alergias, doenças autoimunes e muito mais, dependendo de quais órgãos a inflamação está afetando. Infelizmente, a inflamação crônica normalmente não produz sintomas até que ocorra a perda real de alguma função corporal.

Isso ocorre porque a inflamação crônica é de baixo grau e sistêmica, muitas vezes danificando silenciosamente os tecidos por um longo período. Este processo pode continuar por anos sem você perceber, até que uma doença se manifeste de repente. A dieta é responsável por cerca de 80% dos benefícios para a saúde que você obtém ao levar um estilo de vida saudável, e manter a inflamação sob controle é uma parte importante desses benefícios.

A couve-de-bruxelas tem propriedades anti-inflamatórias, podendo também oferecer benefícios importantes na prevenção de problemas cardíacos, incluindo ataque cardíaco e aterosclerose. Como observou a Fundação George Mateljan:

“De particular interesse aqui tem sido o isotiocianato (ITC) sulforafano, que é feito de glucorafanina (um glucosinolato) encontrado na couve-de-bruxelas. O ITC não apenas desencadeia a atividade anti-inflamatória em nosso sistema cardiovascular, mas também pode ajudar a prevenir e até possivelmente reverter os danos aos vasos sanguíneos.”

Procure por couves-de-bruxelas cultivadas localmente ainda no caule

Nos EUA, a maioria das couves-de-bruxelas é cultivada na Califórnia… mas como elas podem ser cultivadas em climas frios, estão amplamente disponíveis em feiras de produtores locais.

Experimente cultivar suas couves-de-bruxelas para consumir vegetais com um sabor superior. Caso contrário, compre couves ainda no caule. Eles ficam muito mais frescos desta forma e, como não precisam ser arrancados do caule, há menos mão de obra envolvida menos custo para o seu bolso.

– Recursos e Referências

Hits: 0

Leave a Reply