Julio Cesar Tafforelli help you live a longer, leaner, healthy live Start your journey to SUSTAINABLE WEIGHT LOSS

cuidados de saúde

Romãs para a saúde do coração

  • Há muito se sabe que as romãs possuem propriedades antimicrobianas, antibacterianas, antioxidantes, antidepressivas e antifúngicas
  • Agora, cientistas descobriram que as romãs também podem reduzir a infecção, um dos componentes-chave na luta contra a COVID-19
  • Romãs também podem ajudar a otimizar o colesterol e a pressão arterial
  • Opções orgânicas e não OGM (transgênicas) são recomendadas ao adquirir as frutas ou produtos feitos a partir dela. Você pode até mesmo cultivar suas próprias romãs, aproveitando também os benefícios da jardinagem

Por Dr. Mercola

Por milênios, as pessoas apreciaram a acidez suculenta da famosa romã, acreditando que traria fertilidade e prosperidade. Hoje em dia, os pesquisadores estão descobrindo um pouco mais da ciência por trás dos benefícios para a saúde das romãs.

Nas últimas décadas, evidências da presença de antioxidantes, propriedades antifúngicas, antidepressivas e de combate ao câncer têm aumentado. Alguns pesquisadores descobriram seu poder de melhorar a memória, enquanto outros relataram o alívio que elas podem proporcionar para aqueles com artrite e distúrbios nas articulações.

A romã também oferece uma nova esperança na luta contra a COVID-19, pois uma equipe de pesquisadores italianos identificou a capacidade das romãs de acalmar a tempestade de citocinas associada a formas graves de COVID-19 – destacando suas defesas anti-inflamatórias que também podem funcionar como uma proteção potente para o seu coração.

Romãs podem fornecer defesa anti-inflamatória

Romã, capim-limão e açafrão são frequentemente usados por aqueles que buscam soluções naturais para a inflamação. Eles atuam através dos mecanismos do Receptor Ativado por Proliferadores de Peroxissoma Gama, ou PPAR-γ, que “…é uma molécula intracelular que… modula os processos vasculares e imunológicos…”

Por essa razão, surgiu a questão de saber se ele pode ajudar a acalmar a infame tempestade de citocinas associada à COVID-19. De acordo com um grupo de pesquisadores italianos, focar em maneiras de reduzir a resposta imunológica pode permitir que o corpo se cure mais rapidamente, especialmente com o novo coronavírus:

“A tempestade de citocinas é uma produção anormal de citocinas inflamatórias, devido à superativação da resposta imunológica inata… uma abordagem imunomoduladora tendo em mente a superprodução de citocinas poderia ser proposta para o tratamento agressivo da doença pulmonar viral.

Nesse sentido, o receptor ativado por proliferadores de peroxissoma (PPAR)-γ, um membro da família do fator de transcrição PPAR, poderia representar um alvo em potencial.”

A conexão entre a romã e o PPAR-γ está relacionada ao ácido púnico presente nos óleos das suas sementes, que diminuem o nível de expressão das citocinas que causam inflamação. Isto é trabalho do PPAR-γ, que mantém a resposta imunológica sob controle, e diz-se que o fator de transcrição atua em vários sistemas, incluindo o sistema nervoso, o sistema circulatório, o sistema digestivo e o sistema imunológico.

Como um dos alimentos comumente disponíveis que oferecem este nível de proteção e defesa, o papel da romã em uma dieta saudável está se tornando cada vez mais claro:

“Além disso, ligantes nutricionais capazes de ativar o PPAR-γ foram identificados em uma ampla gama de produtos naturais, incluindo frutos do mar e óleo de peixe, romãs, ervas e especiarias (cúrcuma, tomilho, orégano, pimenta, alecrim, sálvia, capim-limão), comumente usados na culinária. Esses agonistas nutricionais do PPAR-γ exercem efeitos inibitórios sobre as citocinas pró-inflamatórias e promovem a diferenciação das células imunes em fenótipos anti-inflamatórios.

Esses alimentos podem representar uma defesa anti-inflamatória natural útil para fortalecer a saúde individual. A promoção de um estilo de vida mais consciente caracterizado por uma dieta rica em alimentos, ervas e temperos capazes de ativar o PPAR-γ pode ser uma opção válida para fortalecer o sistema imunológico por métodos naturais a fim de prevenir a ocorrência de tempestade de citocinas no caso de infecções devido ao coronavírus.”

A equipe de pesquisa de quatro pessoas do Hospital Orsola-Malpighi e da Universidade de Bolonha, Itália, sugeriu que uma abordagem dupla envolvendo medicamentos e dieta pode ser o caminho para tratar eficientemente as pessoas com o vírus.

Um perfil antioxidante único beneficia a saúde do coração

Em 2013, uma equipe de Haifa, Israel, escreveu um artigo sobre o uso de romãs para melhorar a saúde do coração, devido aos seus múltiplos mecanismos de ação. Em uma extensa revisão da literatura, os cientistas descreveram como a fruta é há muito utilizada como medicamento tradicional.

Seu suco é rico em antioxidantes com alta biodisponibilidade, cada um deles impactando diretamente a saúde cardiovascular. Diversos estudos foram citados fazendo referência à capacidade da fruta de tratar a aterosclerose, pressão arterial e colesterol.

O que é especialmente interessante sobre essa fruta é que os antioxidantes pelos quais ela é conhecida estão ligados aos seus açúcares. Alguns pesquisadores estão impressionados com as diversas formas que ela combate a diabetes: possui baixo teor de carboidratos, tem baixa carga glicêmica e ajuda na sensibilidade à insulina. Para quem tem diabetes, essa é uma boa notícia. Embora o suco da romã tenha sido discutido com mais frequência, todas as partes da fruta oferecem benefícios nutricionais:

“O produto de romã normalmente preferido, em termos de potência biológica e consequentes benefícios à saúde, é o suco da fruta inteira (incluindo a casca).

Uma vez que a combinação de antioxidantes que existe no suco da romã pode fornecer uma gama mais ampla de capacidades de eliminação de radicais livres do que um antioxidante individual, os estudos clínicos e nutricionais em humanos também devem ser direcionados ao uso de combinações de vários tipos de antioxidantes dietéticos como combinações de flavonoides juntamente com outros antioxidantes nutricionais, como vitamina E ou carotenoides.”

Os antioxidantes são a forma pela qual a natureza fornece às suas células uma defesa adequada contra ataques das espécies reativas de oxigênio (ERO). À medida que aprendemos mais sobre o papel dos antioxidantes em quase todos os sistemas de nosso corpo, descobriu-se que as romãs são um dos poucos alimentos que contêm três tipos de polifenóis antioxidantes, incluindo taninos, antocianinas e ácido elágico, em quantidades significativas. Segundo os autores:

“Um índice composto de potência foi calculado para diversos antioxidantes atribuindo pesos iguais a cada teste. O suco de romã teve o maior índice composto de potência antioxidante entre as bebidas testadas, sendo pelo menos 20% maior do que qualquer uma das outras opções testadas.”

Romã para colite ulcerativa e perda de peso

Os autores de um estudo de 2016 conduzido na Texas A&M University observaram que os taninos anti-inflamatórios da romã podem ajudar a prevenir o câncer de cólon. Em um estudo envolvendo ratos, a equipe comparou mangas a romãs em termos de redução da inflamação no estômago e descobriu que ambas são benéficas. Ambos os galotaninos nas mangas quanto os elagitaninos nas romãs foram considerados protetores contra a colite ulcerosa.

Mais recentemente, um estudo de Catania, Itália, ganhou atenção por sua discussão sobre o extrato de romã (ER) em relação ao controle de peso. Especificamente, “…um efeito sinérgico de probióticos e polifenóis contidos no ER pode afetar a adipogênese in vitro e contribuir para o desenvolvimento de novos remédios nutracêuticos/probióticos para prevenir e tratar a obesidade”, escreveram os pesquisadores.

A equipe, liderada por Valeria Sorrenti, da Università di Catania, misturou extrato de romã em pó com água destilada para estudar seu conteúdo de polifenóis e os efeitos que podem ter no corpo.

Alimentos à base de plantas contêm polifenóis, que são micronutrientes conhecidos por ajudar na perda de peso, digestão e até diabetes. Outros alimentos, como certos vegetais, feijões e oleaginosas, também os contêm, mas a romã é interessante devido à quantidade que contém, bem como ao seu perfil nutricional geral.

Os pesquisadores de Catania também falaram sobre o papel do PPARγ, explicando que ele ajuda a regular a expressão de genes relacionados à gordura, bem como a propensão do corpo em acumulá-la. Romãs, junto a uma série de ervas, especiarias e alguns tipos de frutos do mar, mostraram funcionar por meio do PPARγ na ativação do metabolismo da glicose e dos lipídios.

No mesmo estudo, a equipe investigou uma cepa probiótica, LGG (cepa L. rhamnosus GG ATCC 53103), e observou que o extrato de romã, em combinação com LGG, reduziu significativamente a quantidade de gordura intracelular acumulada. Muitos de seus resultados estavam de acordo com os de pesquisas anteriores e, quando considerados em conjunto, apontam para a promessa de soluções à base de romã para problemas de saúde modernos.

Todas as partes da romã promovem uma boa saúde

A popularidade das romãs tem crescido à medida que se aprende mais sobre os benefícios à saúde que podem ser obtidos ao apreciá-las. Na Índia, onde o Ayurveda é praticado, todas as partes da fruta – incluindo a raiz e a casca – têm aplicações medicinais.

John Cardellina II, Ph.D., do Reeves Group em Virginia Beach, Virginia, escreve que os compostos fenólicos galotaninos, elagitaninos, lignanos, ácido benzoico e antocianinas são as principais fontes dos benefícios da romã. Porém, com tudo isso, ainda há muito a se descobrir, já que a casca da fruta está sendo estudada devido à presença de 79 compostos fenólicos que foram identificados nos últimos anos.

O óleo de semente de romã tem um lugar especial na lista de benefícios da fruta, pois é rico em fitosteróis e ácidos graxos. O FDA dos EUA endossa o consumo de fitosteróis, declarando em uma revisão de 2019 do Código de Regulamentações Federais, que “Evidências científicas demonstram que dietas que incluem esteróis vegetais/ésteres de estanol podem reduzir o risco de doença cardíaca coronária.”

Plante a sua própria e prepare-se para uma abundância de benefícios para a saúde

Embora haja um fluxo regular de novas evidências sobre o consumo de alimentos integrais como as romãs e talvez extrato e casca de romã para melhorar sua saúde, é importante manter os fundamentos em mente: nenhum alimento é suficiente para atender a todas as suas necessidades nutricionais, e muito de uma coisa boa pode apresentar seu próprio conjunto de problemas.

Além disso, com o crescente interesse em remédios não farmacêuticos para doenças comuns de saúde, infelizmente, alguns fabricantes pegaram o extrato de romã e adicionaram uma série de adulterantes, reduzindo assim seu valor nutricional. Sendo assim, provavelmente é melhor comer um pedaço da fruta inteira.

Certos sucos, por outro lado, podem conter traços de extrato de romã, mas ser repletos de adoçantes artificiais e outros aditivos. É sempre bom verificar a lista de ingredientes e optar pelas marcas que utilizam ingredientes orgânicos, sem OGM e que evitam adições indesejadas. Se você optar por beber suco de romã, faça-o com moderação devido ao teor de açúcar.

Lembre-se também de que a casca da romã contém mais do que o dobro de antioxidantes do que a polpa, mas consumir a fruta inteira com moderação fornecerá fibras adicionais (encontradas nas sementes comestíveis).

Se você nunca comeu uma romã antes, pode estar curioso para saber quais partes são realmente comestíveis e o quais não são. Se você cortar uma ao meio, descobrirá que ela possui várias bolsas contendo as sementes cheias de suco, chamadas arilos (há cerca de 600 deles em uma romã média), separados por finas membranas brancas (e amargas).

Os Arilos são as “joias” da romã, e são a parte saborosa da fruta. Muitas pessoas comem romãs puras, mas você também pode polvilhar os arilos sobre saladas ou pratos cozidos. Dentro de cada arilo, há uma semente crocante e rica em fibras. Embora algumas cuspam as sementes, você pode consumir o arilo inteiro, com a semente e tudo mais.

Você pode até considerar plantar as romãs você mesmo e, em seguida, experimentando as várias maneiras que as sementes, a casca e a polpa podem ser utilizadas em uma dieta saudável. Assim como quando você pesquisa para que possa comprar os produtos de mais alta qualidade, procure fazer a mesma coisa ao escolher entre os muitos comerciantes que vendem mudas de árvores frutíferas e oleaginosas.

– Recursos e Referências

Hits: 0

Leave a Reply

error: Content is protected !!