Julio Cesar Tafforelli help you live a longer, leaner, healthy live Start your journey to SUSTAINABLE WEIGHT LOSS

autocuidado

Uma molécula da laranja poderia ajudar a combater a obesidade?

  • A nobiletina, uma molécula encontrada em tangerinas e laranjas, parece melhorar os depósitos de gordura, resistência à insulina e açúcar elevado no sangue de animais
  • O mecanismo de ação não foi identificado, mas os dados mostram que não interfere com uma via usada pela metformina, um medicamento para tratar diabetes
  • Frutas cítricas como laranjas são ricas em vitamina C, que é conhecida por auxiliar o sistema imunológico e proteger contra infecções virais
  • A manutenção de peso saudável pode ser abordada usando meu protocolo KetoFast, combinando um jejum simples e curto com a ingestão de gorduras saudáveis e deliciosas

Por Dr. Mercola

A obesidade é definida por um acúmulo acentuado e excessivo de gordura. A gordura que cresce logo abaixo da pele, chamada de gordura subcutânea, é relativamente móvel. O segundo tipo pode se acumular ao redor dos seus órgãos internos e se chama gordura visceral.

Ambas podem causar problemas de saúde que variam entre diversos tipos de doenças crônicas a condições potencialmente fatais. Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças indicam que o risco de 13 tipos de câncer aumenta quando você está em sobrepeso ou é obeso. Eles representam cerca de 40% de todos os cânceres diagnosticados.

A obesidade contribui para o desenvolvimento de doenças cardíacas, pois pode causar diabetes, aumentar o risco de hipertensão, alterar o equilíbrio dos níveis de colesterol e levar à síndrome metabólica. Outros riscos à saúde incluem a diminuição do volume do cérebro, problemas ósseos e articulares, apnéia do sono, problemas hepáticos e cálculos biliares.

De acordo com o CDC, a prevalência de obesidade aumentou de 30,5% em 2000 para 42,4% em 2018. Muitos usam seu índice de massa corporal (IMC) para determinar se estão com sobrepeso ou obesos. Esta é uma fórmula matemática que usa altura e peso para determinar a obesidade.

Em alguns casos, uma grande massa muscular pode distorcer o IMC e gerar um falso positivo. Além disso, seu IMC não ajuda a identificar riscos relacionados ao excesso de gordura. Um método melhor de fazer o mesmo é calcular sua relação cintura-quadril, pois ela indica a presença de gordura visceral, sobre a qual seu IMC nada dirá.

Molécula em laranjas pode ser uma chave para lidar com a obesidade

Um dos motivos pelos quais as dietas com baixo teor de gordura se tornaram populares foi porque 1 grama de gordura tem mais do que o dobro de calorias de 1 grama de carboidratos (9 contra 4). Isso levou as pessoas a acreditar que poderiam comer mais carboidratos e ainda manter seu peso. Mas anos de dados e estudos revelaram o contrário.

Uma dieta rica em carboidratos aumenta sua fome e faz com que você coma ainda mais. O número crescente de pessoas que lutam contra o sobrepeso e a obesidade motivou o estudo dos fitonutrientes encontrados em alimentos vegetais.

Pesquisadores da Western University, no Canadá, estudaram a nobiletina (NOB), uma molécula encontrada nas tangerinas e laranjas. Suas descobertas confirmaram as de um estudo anterior que observou que “os resultados sugerem que o NOB melhora a adiposidade, dislipidemia, hiperglicemia e resistência à insulina”.

A equipe descobriu que alimentar animais com nobiletina reduziu os efeitos de uma dieta rica em gordura e colesterol. Em vez de ficarem mais pesados, os ratos emagreceram, ganharam resistência a insulina e um colesterol mais baixo quando comparados a um grupo semelhante alimentado apenas com uma dieta rica em gordura e colesterol.

Este é o estudo publicado mais recente de Murray Huff, Ph.D., que tem analisado o efeito da nobiletina no metabolismo há mais de 10 anos. Ele comentou os resultados:

“Demonstramos que também podemos intervir com a nobiletina. Os ratos que já apresentam todos os sintomas negativos da obesidade podemos usar a nobiletina para reverter esses sintomas e até mesmo começar a regredir o acúmulo de placas nas artérias, conhecido como aterosclerose”.

Os pesquisadores começaram com a hipótese de que a nobiletina tinha um efeito sobre a AMPK, uma enzima que ativa a oxidação de energia quando os níveis de energia estão baixos. Essencialmente, isso faria com que o corpo queimasse a energia armazenada. No entanto, eles descobriram que mesmo em ratos que foram alimentados com uma dieta rica em gordura:

“… a nobiletina preveniu de forma robusta a obesidade, esteatose hepática, dislipidemia e resistência à insulina, e melhorou o gasto de energia em camundongos Ampkβ1-/-, AccDKI e iβ1β2AKO na mesma medida que nos controles WT. Assim, os efeitos metabólicos benéficos da nobiletina in vivo são conferidos independentemente da ativação da AMPK hepática ou de adipócitos.”

O autor não identificou como a molécula funciona, mas Huff tende a acreditar que a molécula não interfere com medicamentos projetados para interagir com o sistema AMPK, como a metformina usada no tratamento de diabetes. Ele acredita que o próximo passo é iniciar os estudos em humanos.

Evidências sugerem que a nobiletina tem ainda mais benefícios

A nobiletina pode ser extraída da casca de tangerina usada na medicina tradicional chinesa. Em um estudo, o extrato, em combinação com outros flavonóides da casca, afetou positivamente a defesa antioxidante em pintinhos. Os resultados de outros estudos demonstraram efeitos significativos na saúde, incluindo:

Propriedades anticâncer em laboratório, especialmente contra células cancerosas do cólonProtege contra a hipertrofia cardíaca ao inibir a NADPH oxidase, uma enzima que produz espécies reativas de oxigênio
Alivia o comprometimento cognitivo relacionado à idade, conforme demonstrado em um estudo envolvendo ratos de laboratório
Diminui as doenças cardiovasculares no diabetes, com base nos resultados de um estudo com animais
Reduz a lesão miocárdica após isquemia e reperfusão, conforme mostrado em um estudo com animais
Reduz as convulsões, conforme relatado por pesquisadores que realizaram um estudo com animais
Melhora a artrite, conforme mostrado no laboratório e em estudos com animaisFortalece a atividade física, incluindo a promoção do envelhecimento saudável, resistência aos exercícios e tolerância ao frio, também conforme demonstrado em um estudo com animais
Aumenta a autofagia e a biogênese mitocondrialReduz a pressão arterial, de acordo com os resultados de um estudo com animais
Melhora os déficits de memória e reduz a perda neuronal, como mostrado em um estudo animal

A vitamina C e a função imunológica

Resfriados, gripes e COVID-19 doenças virais, o que significa que os antibióticos são completamente inúteis no seu tratamento. Os antibióticos são úteis se você tiver uma infecção bacteriana secundária, mas o uso excessivo está causando doenças resistentes a antibióticos.

As frutas cítricas, ricas em vitamina C, são importantes para o sistema imunológico. Outros alimentos ricos em vitamina C incluem pimentão verde, brócolis, Couve de bruxelas, couve-flor e tomates. Os pesquisadores focaram em identificar as vias que a vitamina C pode usar na proteção contra a gripe; essa vitamina é amplamente conhecida por ajudar as crianças a evitar infecções do trato respiratório superior.

Cascas de laranja orgânicas são outra opção para ingerir vitamina C. Uma colher de sopa de casca de laranja contém 8,2 mg de vitamina C, enquanto 1 xícara (16 colheres de sopa) de suco contém 124 mg. Quando você multiplica 8,2 mg por 16 colheres de sopa, o resultado é 131,2, pouco mais que a mesma quantidade do suco.

É importante consumir laranjas orgânicas, já que grande parte da safra comercial da Flórida foi generosamente borrifada com antibióticos para ajudar a suprimir a doença de greening. A doença é transmitida pelo psilídeo cítrico asiático, que infecta as árvores com bactérias. Uma vez infectada, a maioria das árvores morre em poucos anos. Nesse ínterim, elas produzem frutas que não podem ser vendidas.

Até 90% das safras de citros na Flórida foram afetadas, o que levou a EPA a autorizar o uso generalizado de antibióticos nas árvores. Matt Wellington, do US PIRG (Grupos de Pesquisa de Interesse Público), falou ao Centro para Pesquisa e Política de Doenças Infecciosas (CIDRAP), dizendo:

“A EPA está apostando em nossos antibióticos que salvam vidas em sua proposta de expandir maciçamente seu uso na produção de frutas cítricas. Pulverizar milhares de libras de um antibiótico importante do ponto de vista médico em árvores cítricas viola o princípio básico de que esses medicamentos devem ser usados tão pouco quanto possível e somente quando necessário.”

Após a primeira temporada de uso, a Universidade da Flórida publicou um estudo demonstrando que o uso de oxitetraciclina por seis meses não afetou a viabilidade das árvores. Isso também mostrou que os dados iniciais da empresa que fornecia os medicamentos que a EPA usou para sua decisão eram falhos.

Os pesquisadores descobriram que injetar nas árvores pode diminuir o crescimento bacteriano. No entanto, isso é caro e não é aprovado pela EPA. Ao escolher laranjas orgânicas, você não ficará exposto a frutas que podem ter sido contaminadas por antibióticos que ultrapassaram a casca. Você também não apoiará uma prática que apenas aumentará a disseminação de doenças antibióticas.

Níveis elevados de frutose causam resistência à insulina e obesidade

Para alcançar os resultados descritos no estudo canadense sobre a nobiletina, os pesquisadores estimam que você teria que beber 2,5 xícaras de suco de laranja por dia. O suco de laranja sem açúcar de concentrado congelado tem 2,43mg de frutose em cada porção de 100g. Em outras palavras, se você bebesse 2,5 xícaras de suco de laranja por dia, estaria consumindo 13,88 g de frutose de uma vez.

O que isso significa em linguagem simples é que, embora beber suco de laranja possa oferecer os benefícios da nobiletina, ele vem com adição de açúcar que tem uma influência significativa sobre a obesidade e doenças relacionadas. Outro desafio é que sua balança não informa como a gordura que você possui está distribuída por todo o corpo.

A circunferência da cintura oferece uma noção, mas mesmo essa medida não é infalível. Algumas pessoas parecem magras, mas têm os mesmos problemas de saúde que as pessoas que lutam contra a obesidade, incluindo hipertensão, diabetes e doenças cardíacas. Os problemas subjacentes são gordura visceral, resistência à insulina e síndrome metabólica.

Em sua maior parte, a frutose é consumida na forma líquida, geralmente como xarope de milho com alto teor de frutose. No entanto, mesmo quando a frutose é de frutas, o número de gramas que você come ainda conta. A carga do metabolismo recairá sobre o fígado e o excesso de frutose promoverá o desenvolvimento da gordura visceral acumulada na região abdominal. Isso aumenta o risco de doenças cardíacas e síndrome metabólica.

Embora não seja inerentemente tóxico, quando você come demais, seu fígado não consegue lidar com o metabolismo. Como já escrevi, sugiro manter seu cunsumo total de frutose abaixo de 25 g por dia. A quantidade de frutose em 2,5 xícaras de suco de laranja é mais da metade dessa quantidade.

Se você comer qualquer outra fruta, determinados vegetais, alimentos processados ou bebidas, é provável que ultrapasse facilmente o limite e aumente o risco de síndrome metabólica, mesmo que mantenha o peso.

Estratégias simples ajudam a controlar o peso e a apoiar a saúde

Os desafios de perda e manutenção de peso são afetados por muitos fatores, incluindo o tipo de alimento consumido, quando você come, sua movimentação diária, sono e exercícios. Os primeiros dois fatores são fundamentais para a sua saúde e manutenção do peso, pois, não importa o quanto você tente, não é possível superar uma dieta ruim com exercícios.

Seu corpo precisa dos nutrientes certos para alimentar suas células, neutralizar toxinas e equilibrar seu peso. Uma ótima forma de conseguir isso é usar o protocolo KetoFast que desenvolvi após o lançamento do meu livro best-seller “Fat for Fuel”. Usando o protocolo KetoFast, seu corpo recupera a flexibilidade metabólica e aumenta sua capacidade de queimar gordura como combustível.

Isso ajuda a dar suporte às mitocôndrias e às células cerebrais, ao mesmo tempo que reduz o risco de muitas doenças crônicas associadas à síndrome metabólica e à obesidade. A combinação de jejum e alimentação em um plano alimentar cetogênico é feita em fases, para que você não se sinta sobrecarregado com as mudanças em sua alimentação.

Hits: 0

Leave a Reply

error: Content is protected !!